O que é a Geologia?


A Geologia (“geo” = terra, “logia” = estudo; geologia = estudo da Terra) é uma ciência multidisciplinar, mas que é considerada academicamente como uma ciência da área de exatas. Ela tem um campo muito vasto, necessitando de muito conhecimento em química, física, matemática e até em zoobotânica.

A Geologia estuda a origem, a formação, a estrutura e a composição da estrutura da Terra e os fenômenos formadores da mesma, que agem não somente sobre a superfície, como também em todo o interior do nosso planeta. Também procura determinar cronologicamente a evolução geral, as modificações estruturais, geofísicas e biológicas ocorridas na história da Terra, ou seja, procura entender as alterações sofridas por nosso planeta ao longo do tempo.
Por ser um curso tão multidisciplinar, inicialmente a Geologia e a Biologia eram ministradas juntas, num curso conhecido como “Ciências da Terra”. Com o tempo foram vendo que esses dois cursos tinham focos e habilitações diferentes e que precisavam ser ministrados separadamente.
Existem indícios que comprovam o uso do termo Geologia pela primeira vez no ano de 1493, pelo Bispo Richard de Bury, para distinguir os teólogos dos juristas que se preocupavam com as coisas terrenas.

O Curso

O curso de Geologia, também conhecido como Engenharia Geológica dura no mínimo 5 anos, e visa à formação de profissionais especializados no estudo da composição, estrutura e história evolutiva da Terra e capacidade de aplicar este conhecimento no aproveitamento, potencialização e preservação dos recursos naturais e no planejamento do uso e ocupação do solo.

No curso, além das aulas teóricas, há muitas aulas práticas (parte considerável do curso, com aulas em laboratórios e trabalhos de campo), onde a teoria é usada praticamente e que em essência é o que o geólogo faz na sua vida profissional.
O curso começa com um ciclo básico, com disciplinas das áreas de química, matemática, física e biologia, mas já no primeiro ano o aluno tem atividades de campo para se familiarizar com os conteúdos próprios da Geologia. Em seguida se inicia um ciclo profissionalizante, com disciplinas como petrografia (descrição e análise de rochas), sedimentologia e paleontologia, de conteúdo geológico fundamental, aplicado à descoberta e aproveitamento de minério, combustíveis e recursos hídricos, à engenharia e ao meio ambiente.

Na metade do curso a ênfase é dada à formação profissional, com aulas de geologia econômica, sensoriamento remoto, tratamento de minérios, geologia urbana, etc. Nos trabalhos de campo, o estudante faz mapeamentos e coleta de material que será mais tarde analisado em laboratório.

Hoje em dia, com o advento da informática, muitos trabalhos utilizam-se de computadores. Vários tipos diferentes de programas são usados, como o Corel Draw, Word (para relatórios), AutoCAD, Microstation (CAD) que faz parte da família MGE, utilizada para Processamento Digital de Imagens (PDI) e Sistema de Informações Geográficas (SIG), além de outros programas.

Então, para ser um bom geólogo, além de ter conhecimento em exatas e em computação, é importante gostar de fazer trilhas, acampar no meio do nada, gostar de laboratórios e, principalmente, ter uma mente aberta, necessária para conseguir compreender os complexos processos da formação do nosso planeta.

A Função do Geólogo

O geólogo estuda a ação das forças naturais sobre o planeta e seus efeitos, como a erosão, a glaciação e a desertificação. Para isso, ele analisa fósseis, minerais e a topografia dos terrenos. Ele classifica rochas ígneas, sedimentares e metamórficas, que ocorrem tanto na superfície terrestre quanto no subsolo. Também localiza e explora jazidas minerais, depósitos subterrâneos de água e reservas de petróleo, carvão mineral e gás natural.

O geólogo procura evitar os danos que a exploração desses recursos possa causar ao meio ambiente, além de elaborar relatórios de impactos ambientais e analisar terrenos antes da realização de obras importantes, como túneis, usinas, estradas, pontes, condomínios, barragens, ferrovias, etc.

Em suma, abaixo estão listadas algumas áreas onde um geólogo pode trabalhar:
- Prospecção e exploração de recursos minerais, hídricos e energéticos;
- Caracterização de materiais terrestre (minerais, rochas, fósseis, minérios);
- Ensino de geologia em estabelecimentos de ensino médio e superior
- Geologia aplicada à engenharia de túneis, barragens, estradas, aterros, contenção de encostas, dentre outros;
- Sondagem, incluindo locação de poços;
- Avaliação de impactos ambientais e projetos de recuperação ambiental;

Especializações

Hidrogeologia: Descobrir depósitos de água subterrâneos e planejar sua exploração de forma a garantir a pureza das águas. Conforme o tipo de rocha, a água nela armazenada comporta-se de maneira diferente. Com base na mineralogia e no grau de alteração dos minerais dessas rochas é possível prever a qualidade química natural de uma água subterrânea, que é definida pela quantidade relativa dos principais elementos químicos dissolvidos que a água apresenta. Através da hidrogeologia é possível verificar a vazão de poço, a recarga do aquífero e outras informações necessárias ao bom aproveitamento e proteção destes depósitos subterrâneos de água.

Geologia Ambiental: Planejar a ocupação de territórios e avaliar o risco geológico (erosões, enchentes e deslizamentos) a que essas regiões possam estar submetidas. Aplicar os conhecimentos geológicos à resolução de problemas decorrentes da ocupação humana, na superfície terrestre, como recuperar solos e águas contaminadas. Essa área consiste no estudo dos equilíbrios e desequilíbrios geológicos decorrentes da relação que existe entre o homem e a superfície terrestre, assunto no qual a importância vem crescendo muito ao longo dos anos.

Geologia Territorial: É um ramo da geologia que estuda a distribuição, posição e forma das áreas ocupadas por diferentes tipos de rocha, ou unidades geológicas, na superfície terrestre.

Geofísica: Pesquisar os fenômenos elétricos, térmicos, magnéticos, gravitacionais, radioativos e sísmicos do planeta. Essa área é voltada à compreensão da estrutura, composição e dinâmica da Terra, sob a ótica da Física.

Engenharia Geológica: Fazer o levantamento geológico e geotécnico de áreas para a construção de represas, túneis e estradas. Estuda a recuperação de áreas degradadas por atividades de mineração.

Geologia do Petróleo: Localizar e explorar reservas de hidrocarbonetos (petróleo e gás natural), dentro da área de recursos energéticos. Essa área atua tanto na prospecção, exploração e uso, como nos estudos e pesquisas sobre a natureza, a origem e as composições particulares dos diversos hidrocarbonetos.

Geoquímica: Estudar a composição e os processos químicos e reações que governam a composição de rochas, solos, águas e dos ciclos de matéria e energia que transportam os componentes químicos da Terra pelo tempo e espaço. A geoquímica serve para conhecer a distribuição dos elementos químicos na Terra e em outros planetas, descobrir causas para as composições químicas observadas em materiais naturais, e estudar as reações químicas na superfície e interior da Terra.

Geologia Histórica: Estudo da seqüência dos acontecimentos passados na Terra em tempos idos como nos revelam as rochas e os fósseis. É um dos ramos da geologia que se propõe descrever as diversas etapas da história da Terra, desde os tempos de sua origem até os nossos dias. Para a reconstituição dos fatos passados na superfície do globo terrestre lança-se mão principalmente de dois métodos: estratigráfico e paleontológico. Um processo que também se usa para datar certas formações é a desintegração radioativa.

Geologia de Engenharia: Refere-se à aplicação dos conhecimentos geológicos à engenharia, com o objetivo de garantir que os fatores geológicos, que afetam a localização, construção e manutenção das obras de engenharia, sejam perfeitamente reconhecidos e aplicados, no sentido de garantir a sua segurança.

Geologia de Mineração: Localizar jazidas minerais e estudar a viabilidade econômica de sua exploração; nessa área estudam-se os fatores geológicos diretamente relacionados à abertura, operação e fechamento de minas. Incluí a área de Geoestatística. Ultimamente um dos maiores empregadores de geólogos tem sido essa área, embora a procura tenha estado em queda ultimamente. É um ramo fundamentalmente ligado aos preços de commodities (metais, minerais industriais) em mercados internacionais. O estudo dos recursos minerais é vasto e procura identificar, classificar, analisar e prever os vários recursos naturais dos quais dependemos em nosso dia-a-dia.

Gemologia: Estudar e analisa o caráter físico e químico de materiais gemológicos, conhecidos como gemas. A composição, estrutura, propriedades físicas e ópticas desses materiais gemológicos são essenciais nessa ciência. Há também o estudo da origem das gemas e de suas jazidas. Identificar gemas e distinguir as naturais das suas imitações, as sintéticas é uma das funções dessa área. Pesquisar tipos de tratamentos destinados a melhorar o aspecto da gema e conseqüentemente aumentar o seu valor comercial.

Geomorfologia: Ciência que estuda as formas de relevo, o clima da região e as diferentes forças endógenas e exógenas que, de modo geral, entram como fatores construtores e destruidores de relevo terrestre. A Geomorfologia pode ser dividida em: geomorfologia continental (modelo continental) e geomorfologia submarina (modelo submarino). No conceito básico da geomorfologia consideramos; Forma, Descrição, Gênese e Evolução.

Geologia Econômica: É a geologia aplicada aos problemas econômicos. Há problemas particulares concernentes ao solo e subsolo que só podem ser resolvidos por geólogos. Entre os diversos exemplos destacaríamos o abastecimento de uma cidade em água potável, a construção de edifícios (implantação e gabarito), a localização e construção de barragens, as pesquisas minerais, etc.

Geologia Estrutural: Estudo das transformações, em todas as escalas, da forma, orientação e situação de corpos rochosos, no decorrer do tempo geológico. Estuda as deformações crustais, o mesmo que estudo do arcabouço do subsolo (formas estruturais primitivas ou originais).

 

Mercado de Trabalho e Rendimento Profissional

O mercado de trabalho está bastante aquecido para o geólogo, não só pela descoberta de petróleo na camada do pré-sal, mas também por causa de obras que estão sendo realizadas no país. A Petrobras e outras empresas que vão explorar esse petróleo estão contratando muitos geólogos e engenheiros de petróleo, que tem por função principal localizar possíveis poços de gás e petróleo.

Outro setor que geralmente está aquecido é o de mineração. Esse setor foi muito afetado pela crise econômica mundial, mas está novamente expandindo as atividades e recontratando. Há vagas espalhadas por todas as regiões do país, especialmente na região central. Na mineração, o geólogo geralmente vai para o campo explorar determinada região atrás de jazidas minerais, mas pode também ficar dentro de centros de pesquisa fazendo análises dos minérios encontrados. Acordos do Brasil com outros países devem abrir oportunidade para que empresas brasileiras, como a Companhia Vale do Rio Doce, expandam suas operações. Empresas do setor público, como a Petrobras e a Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais, costumam abrir concursos para contratar geólogos, que também podem ser requisitados por laboratórios de pesquisa científica e tecnológica.

Geólogos podem trabalhar na área de construção civil, onde os conhecimentos dos geólogos, relativos principalmente a solos, são essenciais para assegurar condições de segurança e economia na elaboração de projetos de engenharia.

Quem trabalha no campo da geologia ambiental pode encontrar chances de emprego nas prefeituras para fazer planejamento e análises de risco, a fim de evitar enchentes e deslizamentos de encostas, além de fazer laudos para empresas, com finalidade de prevenir a contaminação de solos e água. Empresas de todo o Brasil que fazem monitoramento para evitar vazamentos em postos de gasolina também costumam contratar geólogos para elaborar análises técnicas.

Entre as muitas áreas em expansão, há a gemologia, onde geólogos especializados nesse ramo são contratados por diversos setores com a finalidade de analisar pedras preciosas – um exemplo disso são grandes bancos, como a Caixa Federal e o Itaú, e de casas de penhores, que contratam gemólogos (geólogos especializados em gemologia), a fim de analisar o real valor de jóias guardadas/penhoradas nesses locais. Outra dessas áreas em expansão é a geologia forense. Ministérios públicos, federais e estaduais, começam a abrir vagas para essa área – esses profissionais são contratados para fazer perícias baseadas nas técnicas da geologia e conseguem descobrir, por exemplo, a origem de um carregamento de cerâmica contrabandeada com base na análise da argila. Ou, ainda, podem ser chamados para analisar vestígios de barro em cenas de crime para determinar de onde é o material.

Prevê-se também crescimento na área acadêmica, com oportunidades como professor e pesquisador, em instituições de ensino superior. Para dar aula nos cursos superiores, é necessário ter, no mínimo, mestrado e doutorado.

O mercado de geologia emprega pessoas em ramos tão vastos que é difícil precisar médias de mercado. Varia muito, ainda, com o mercado nacional ou internacional no qual está trabalhando. O setor público tradicionalmente remunera menos do que o privado.

O salário inicial de um geólogo recém formado gira em torno dos 3.060 reais (6 horas diárias; fonte: Crea-SP).

Os melhores salários são destinados a geólogos de exploração – onde há riscos, a remuneração geralmente é melhor. Um exemplo de um trabalho difícil, mas muito bem pago, é o realizado em plataformas de petróleo. São 15 dias em alto mar, trabalhando exaustivamente, e 15 dias em terra, descansando. A remuneração desse tipo de trabalho pode chegar a 17.000 reais. Já no ramo de consultorias, os salários giram desde R$200 por dia, até US$1.000 por dia.

O mercado de geólogos é cada vez mais autônomo e mundial, e está em grande crescimento e consolidação.

Onde trabalhar

° Empresas de pesquisa mineral, de mineração, de engenharia civil, de sondagem, de hidrografia;
° Empresas e entidades científicas e de pesquisa;
° Empresas de consultoria e assessoramento;
° Estabelecimentos de ensino superior;
° Empresas públicas, prefeituras, etc.

 

 

 

 

Fontes:

http://www.cprm.gov.br/publique/media/geologia.pdf

http://guiadoestudante.abril.com.br/profissoes/meio-ambiente-ciencias-agrarias/geologia-603128.shtml

http://www.cbpm.com.br/paginas/oque_geologia.php

http://www.creasp.org.br/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Geologia

http://www.geologiabr.hpgvip.ig.com.br/geologia.htm

http://ocb.sites.uol.com.br/geointro.htm

 

 

Escrever um comentário

Você precisa entrar para escrever um comentário.